O novo álbum trás dez canções inéditas compostas nesse último ano com amigos músicos da nova geração. Com Lulina, compositora recifense radicada em São Paulo, Wander fez “Um rio de fluidos nãoNewtonianos”, “Sonhos” e “Script”. O amigo Gustavo Kaly fez duas musicas para o disco, “Sempre que eu posso eu fujo do inverno” e “Meio Bauhaus meio inverno”, e juntos compuseram “Pensando em Ratos”. Juvenil Silva, outro expoente da cena pernambucana, assina duas canções com nosso bardo, “Com Liniker e com desapêgo” e “Amigo”. Arthur de Faria, comanchero de longa data, produziu “Fantasma” e “Script”, da qual é co-autor. O disco foi gravado em Porto Alegre por Thomas Dreher durante o mês de outubro de 2016 e contou com a participação de Gustavo Chaise no baixo, Pedro Zignani na bateria, Arthur de Faria no teclado, Jimi Joe e Julio Porto nas guitarras, e Desirée Marantes no violino. A arte da capa e contracapa é de Lukas Doraciotto, a arte do encarte é de @cava_27, ambas com colaboração de Lulina.

Contato para shows: show@wanderwildner.com.br